ÁREA RESERVADA|ISBN|CATÁLOGO BIBLIOGRÁFICO|FEIRAS DO LIVRO|CONTACTOS|ASSOCIAÇÕES DO SETOR
HOMEA APELASSOCIADOSDOCUMENTAÇÃOPIRATARIA DIGITALNOTÍCIAS
LOGÓTIPOS|HISTÓRIA|ESTATUTOS|ÓRGÃOS SOCIAIS 2015-2017|SERVIÇOS|TORNE-SE SÓCIO|TABELA DE QUOTAS|LISTA DE ASSOCIADOS|ACORDO ORTOGRÁFICO|APOIOS E INCENTIVOS|DIREITOS DE AUTOR|LEGISLAÇÃO|ESTUDOS E ESTATÍSTICAS|PNL|CCT|OUTROSDENUNCIAR|INFORMAÇÕES GERAIS|LEGISLAÇÃOCONCURSOS E PRÉMIOS|NOVIDADES EDITORIAIS|OUTRAS NOTÍCIAS

Conte�do alternativo

Adobe Flash player

Notícias Homepage > Notícias > A Livraria Lello Faz 112 Anos

A Livraria Lello Faz 112 Anos

Para celebrar os seus 112 anos de existência, no próximo sábado, dia 13 de janeiro, pelas 10 horas da manhã, a equipa da Livraria Lello abrirá as portas para receber amigos e leitores, membros do governo e outras individualidades nacionais e estrangeiras, iniciando com uma pequena cerimónia que decorrerá até às 11h30, momento em que a Livraria Lello ficará de portas abertas para quem a quiser visitar.

Uma vasta passadeira vermelha em frente à Livraria Lello dará a dignidade necessária ao evento. Aqui, os visitantes serão acolhidos por um grupo de 50 atores encarnando outros tantos autores e personagens que, desta forma, ganham vida e interagem com os amigos e leitores da Livraria. De Camilo ao Principezinho, passando por Florbela Espanca e Fernando Pessoa, estes atores farão parte da história viva que a Livraria pretende contar, reforçando o seu posicionamento e o programa cultural que irá desenvolver ao longo de 2018.

Neste dia, a Livraria Lello apresenta-se completamente restaurada, resgatando todo o esplendor da inauguração em 1906, num dia pleno de eventos que acrescentam um renovado significado aos seus espaços, traçando o rumo para os próximos 112 anos, focados nos livros e nos leitores.

As profundas obras de conservação e restauro que agora se concluem foram desenvolvidas ao longo de 2016 e 2017. Em 2017, a intervenção incidiu no interior do edifício, nomeadamente na recuperação completa de madeiras e estuques, na reformulação da instalação elétrica e da iluminação e na instalação de um novo sistema ar condicionado. Estas obras vieram possibilitar a abertura ao público de salas até agora reservadas.

“Live Act” é uma das novas áreas que agora se abrem ao público. Trata-se de uma oficina onde se desvendam os velhos segredos dos ofícios do Livro, como a Encadernação, o Restauro e a Conservação de livros e documentos gráficos antigos, assim como a Caligrafia antiga e moderna. Aqui, o visitante poderá observar demonstrações de técnicas das várias artes do Livro, solicitar serviços de restauro e conservação para a sua própria biblioteca, observar o trabalho de encadernação de obras, ou usufruir de um serviço de caligrafia para uma dedicatória personalizada.

Na cave do edifício, onde, durante mais de um século, se armazenaram milhares de livros, nasce agora projeto “Vozes Vivas”. Mantiveram-se o pavimento negro revelando as cicatrizes do tempo, a rugosidade das paredes brancas e as vigas originais do teto, complementadas com painéis em porcelana com motivos e desenhos da Livraria e apontamentos a ouro. Este espaço irá acolher ciclos temáticos apelativos, promovendo o cruzamento de várias manifestações artísticas. A Livraria Lello passará a ter um grupo teatral residente, com uma importante programação cinematográfica, sejam curtas e longas metragens ou documentários, valorizando o cinema português.

Na sala do fundo do 1.º andar, abre um espaço exclusivo, dedicado ao culto dos livros, intitulado “Gemma”. Aqui poderá encontrar livros como objetos de arte, livros-investimento, edições de luxo, primeiras edições raras, cartas, manuscritos e edições assinadas pelos autores. Aqui estará, também, em exibição parte do espólio da Livraria Lello, peças únicas que serão disponibilizadas aos olhos do público. Entre as várias peças temporariamente em exibição, contam-se coleções privadas de “livros de cabeceira”. Obras que, outrora, estiveram na mesinha de cabeceira de diversas personalidades e que, de alguma forma, marcaram quem os leu e ajudaram a moldar as pessoas em que se tornaram.

No 1.º andar da livraria, por entre livros, estão expostos 400 bustos de 400 portuenses. A instalação chama-se “O Rosto do Porto” e pretende celebrar a cidade através dos rostos de quem a faz, de quem a habita e a representa, a partir de retratos em barro tridimensionais de portuenses anónimos e personalidades da cidade. As quatro centenas de bustos foram modelados ao vivo, com a presença dos retratados, entre novembro de 2017 e o início de janeiro de 2018.

Ao longo do dia haverá diversas iniciativas e interações culturais:

António Fonseca declama para os visitantes da Livraria Lello os cantos mais icónicos de “Os Lusíadas”, trazendo à vida a obra maior da Literatura Portuguesa para um encontro entre os leitores e a palavra.

Ao rodar da manivela, uma bailarina é libertada da sua caixa de música gigante, dançando ao som de “Salluquia, a Bella Moura”, a valsa de 1906 – ano da inauguração do edifício da Livraria Lello – composta por Alfredo Keil, autor do hino nacional.

“Chardron e cozinheira de Genelioux” é o nome de um divertido “sketch” teatral. Tendo por base os perfis do livreiro e editor Ernesto Chardron traçados por Ramalho Ortigão, o visitante ficará a conhecer, pela voz do próprio Chardron e da sua cozinheira, os segredos do Porto da época, os pratos prediletos da elite burguesa portuense e os segredos de como um estreante livreiro conseguiu publicar as célebres obras de Camilo Castelo Branco.

A pensar nos mais pequeninos, um contador de histórias de chapéu alto interpreta contos de 1906, da famosa escritora britânica Beatrix Potter. Sapos, coelhos e gatinhos vivem aventuras na Livraria Lello e nas suas escadas numa ação chamada “Conta lá outra vez!”.

No dia do seu 112.º aniversário, os presentes são convidados a reencenar a célebre fotografia de Aurélio Paz dos Reis no momento da inauguração da Livraria Lello. Todos poderão experimentar fazer parte do que terá sido o grande evento de 1906, que reuniu a nata da sociedade portuense na abertura do edifício que mantém o seu esplendor e arquitetura originais.

Entre 13 de janeiro de 1906 e 13 de janeiro de 2018 são mais de 40 mil dias de serviço à cidade, ao país e ao mundo, ao longo dos quais a Livraria Lello comercializou milhões de livros a dezenas de milhões de leitores, provenientes de todo o mundo. Analisando apenas o ano transato, 2017, a Livraria Lello foi responsável pela comercialização de 279.475 livros (+ 7,5% do que em 2016) tendo recebido um total de 1.235.472 visitantes (+ 17,6% do que em 2016). Os visitantes vieram principalmente de Espanha (25,8%), França (12,5%), Brasil (8,3%), EUA (4,8%), Alemanha (4,2%), Itália (4,2%), Reino Unido (2,9%), Polónia (2,4%), Coreia do Sul (2,2%), Países Baixos (1,9%), Japão (1,7%) e China (1,6%). Portugueses foram 18,2% do total, sendo os restantes 9,3% provenientes de quase todos os países do mundo: da europeíssima Suíça ao arquipélago de Tuvalu, no Pacífico; da centro-americana Guatemala ao asiático Uzbequistão.

A Livraria Lello encerrará pelas 19:06, em recordação do seu ano de inauguração.

  Mapa do Site | Desenvolvido por: Holos | © APEL 2010